Posts Em Destaque

Pescar em dias frios… é fria!


Nas regiões brasileiras onde o inverno é mais rigoroso, como a Sudeste e Sul, fisgar um brigão pode ser uma tarefa árdua e até frustrante. O frio interfere na vida dos animais aquáticos da mesma maneira que nos homens e outros animais terrestres. Por isso, todo pescador já pode ter observado que os peixes ficam menos ativos com as baixas temperaturas, principalmente as espécies tropicais e subtropicais, acostumadas ao clima brasileiro de “praia e sol” quase o ano todo. Mas o que ocorre com eles?

Resumindo, é bem simples: no frio, os peixes reduzem todas as atividades do corpo, principalmente a alimentação. Com as temperaturas baixas, eles nadam menos e às vezes param totalmente de comer. Assim, não existe isca que o peixe morda, o que torna a pescaria no inverno uma aventura sem garantias de bons resultados.

A temperatura do corpo dos peixes varia de acordo com as variações da temperatura da água - esfriou a água, o corpo dos peixes esfria junto; se esquentar, esquenta junto. A única opção de “controle” da temperatura para o peixe é subir ou descer na coluna de água do rio (na superfície, a água é mais quente por causa do sol direto; no fundo do rio, a água é mais fria; e assim, o peixe encontra uma altura que lhe seja mais confortável.

TEMPERATURA IDEAL

Todos os animais, inclusive o homem, precisam de uma “temperatura ideal” para o funcionamento correto do organismo, o chamado “conforto térmico”. No homem, essa temperatura é em torno de 36,5 graus; acima disso é febre e abaixo é calafrio e tremedeira. Já entre os peixes, nos pacus, por exemplo, a temperatura ideal para o conforto térmico é em torno de 26 graus centígrados; nos tambaquis, entre 27 e 29 graus; o dourado, 25 graus e assim por diante. Como os peixes estão à mercê das variações externas de temperaturas (pecilotérmicos), nas águas frias do Inverno eles perdem o ponto ideal de funcionamento do organismo. Dependendo do quanto a temperatura baixar, o peixe pode não resistir e morrer.

PEIXES DO RIO

Sabendo disso tudo, é fácil concluir que as espécies não-tropicais, importadas de países frios, são mais resistentes ao inverno e, por isso, garantem mais as boas pescarias nessa época. A truta, por exemplo, é originária de países frios, como Canadá e Estados Unidos e seu conforto térmico é em torno de 15 a 17 graus; quer dizer, pode “nevar” que a truta vai adorar. O black bass é outro importado que resiste ao frio e mantém a briga com o pescador; tilápias e o “catfish” americano são outras boas opções de pesca no frio.

Entretanto, mesmo entre as espécies tropicais, existem aqueles peixes que têm maior versatilidade com as temperaturas e reagem bem mesmo quando a água esfria. É o caso de corvinas ou piaus.

Fonte: http://www.pescasemfronteiras.com.br

Posts Recentes