Posts Em Destaque

Repelente de insetos para cachorros?


Quando o assunto são picadas de insetos, muita gente pensa imediatamente na coceira, mas saiba que os riscos vão muito além disso.

De acordo com a Dra. Gabriela Bianchi, médica-veterinária da Petz, as picadas de insetos são perigosas porque podem levar a processos ainda mais graves, principalmente se o pet tiver predisposição para outras alergias. “Os sintomas podem variar de coceira, dor, vermelhidão, inchaço do local até outros mais sérios, como dificuldade respiratória, aumento de pressão arterial, síncope, convulsão, insuficiência renal e hepática aguda ou mesmo morte”, diz a especialista.

Outra preocupação diz respeito à transmissão de doenças sérias que podem, inclusive, passar despercebidas, como é o caso da dirofilariose. Transmitida por pernilongos comuns, a doença causada por um parasita semelhante à lombriga pode levar ao entupimento da cavidade cardíaca, sendo que seu diagnóstico só costuma ser feito em estágio avançado.

No caso da leishmaniose – outra doença grave transmitida por mosquitos – estudos mostram que a forma mais eficaz de preveni-la é por meio da vacinação combinada ao uso de repelente. Além disso, os repelentes também ajudam a afastar outros insetos como as moscas, responsáveis pela transmissão de doenças como berne e miíase.

Tipos de repelente: como e quando usar

Assim como nós, os cachorros também não estão expostos às picadas de inseto sempre da mesma forma. Alguns fatores, como local, época do ano e hábitos podem contribuir para uma maior necessidade de usar determinado tipo de repelente. Confira abaixo os principais tipos de repelente para cachorro disponíveis atualmente e em que casos eles são recomendados.

Coleira repelente: desenvolvida com inseticida capaz de afastar moscas, mosquitos, abelhas e outros insetos, pode durar até 8 meses, dependendo do fabricante. Segundo a especialista, o ideal é que o pet fique com ela sempre, respeitando seu prazo de validade.

Spray repelente: feito com ingredientes atóxicos, como a citronela, deve ser borrifado no cachorro, tomando cuidado para não atingir olhos, boca e focinho. A Dra. Gabriela recomenda que seu uso seja associado à coleira em caso de situações com maior exposição aos insetos, como quando o tutor leva o pet para a praia, para fazer uma trilha ou para acampar.

Pipeta repelente: com inseticida, o produto funciona de maneira parecida com a coleira repelente de mosquito para cachorro, devendo ser aplicado na nuca do pet a cada 30 dias. É importante garantir que o pet não consiga lamber ou ingerir o conteúdo da pipeta.

Repelente eletrônico: ainda que possa ajudar a proteger o cachorro durante a noite, seu uso é recomendado para deixar a casa livre de insetos de uma maneira segura e atóxica para os pets. Isso porque o produto, que deve ser conectado à tomada, funciona somente emitindo um potente ultrassom que afasta moscas, mosquitos, etc. Deve ser usado em conjunto com a coleira. Repelente eletrônico faz mal para cachorro somente se não for fabricado para uso também animal.

Odorizador repelente: o repelente citronela para cães, também serve para proteger a casa de insetos, devendo ser colocado nos ambientes e usado associado à coleira.

Em tempo, a veterinária explica que quem tem pet deve evitar o uso de repelentes tradicionais para humanos, sejam eles de tomada, odorizadores, em spray ou outros modelos. Isso porque, se ingeridos, eles podem causar intoxicações graves no seu amigo.

Fonte: petz.com.br

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags